domingo, 19 de maio de 2024

  1. Home >
  2. Cursos >
  3. Nova regulamentação do teletrabalho. O que fazer? Aspectos práticos e cautelas para as empresas
2022

Nova regulamentação do teletrabalho. O que fazer? Aspectos práticos e cautelas para as empresas

R$ 49,00

Conteúdo

  • PlayPlay
    Nova regulamentação do teletrabalho. O que fazer? Aspectos práticos e cautelas para as empresas; Abertura; Painel 1; Artigo 62, III, da CLT. Hipóteses de exclusão do capítulo Duração do Trabalho. ; Equipamentos e despesas em teletrabalho. Cautelas para as empresas. 00:56:31
  • PlayPlay
    Painel 2; Higiene e segurança do trabalho. Exigências legais e outras especificidades do teletrabalho; Deslocalização do trabalho, enquadramento sindical e trabalho transnacional. 01:02:02
  • PlayPlay
    Painel 3; O teletrabalho no estágio e na aprendizagem. Cautelas.; Negociação coletiva e teletrabalho.; Teletrabalho. Hipóteses legais de prioridade e estratégias para ações afirmativas. 01:32:49

Programação

  • Abertura

  • Painel 1

  • Artigo 62, III, da CLT. Hipóteses de exclusão do capítulo Duração do Trabalho.

    • Alexandre de Almeida Cardoso
    • Sócio na área de Trabalhista e Previdência Social de TozziniFreire Advogados. Ampla experiência na assessoria preventiva a empresas, com destaque para questões relacionadas a mobilidade global, compliance trabalhista, privacidade de dados e mídias sociais, acordos de confidencialidade e não concorrência, remuneração e benefícios.
  • Equipamentos e despesas em teletrabalho. Cautelas para as empresas.

    • Antonio Galvão Peres
    • Doutor e mestre em Direito do Trabalho pela USP. Professor de Direito do Trabalho do curso de pós-graduação de Direito do Agronegócio do IBDA - Professor do Curso de Direito do Agronegócio do INSPER. Membro do Conselho Superior de Relações de Trabalho da FIESP (2017-2021) - Professor Adjunto de Direito do Trabalho da Faculdade de Direito da Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP (2006-2014) - Membro do IASP, do qual foi presidente da Comissão de Direito do Trabalho (2010-2012). Coordenador do Núcleo de Assuntos Legislativos da Comissão da Advocacia Trabalhista da OAB/SP.
  • Painel 2

  • Higiene e segurança do trabalho. Exigências legais e outras especificidades do teletrabalho

    • Antonio Carlos Frugis
    • Sócio fundador de Soto Frugis Advogados. Com mais de 25 anos de experiência na área trabalhista, atuou e atua nos mais diversos e complexos casos de contencioso judicial, prestando consultoria para clientes brasileiros e estrangeiros de setores variados, como embalagens, energia, farmacêutico, bancário, automotivo, bebidas e outros.
  • Deslocalização do trabalho, enquadramento sindical e trabalho transnacional.

    • Maria Fernanda de Medeiros Redi
    • Advogada sócia de relações de trabalho do HRSA Sociedade de Advogados. Doutora em Direito Econômico e Financeiro pela USP. Graduada em Direito pela USP. Especialista em Direito Previdenciário pela ANPREV. Especialista em Direito Mobiliário e Mercado de Capitais pela USP. Pós-graduada em Estudos Avançados para Conselho de Administração (ABPW) pela Saint Paul's Escola de Negócios e Universidade de Tel Aviv.
  • Intervalo

  • Painel 3

  • O teletrabalho no estágio e na aprendizagem. Cautelas.

    • Ricardo Melantonio
    • Diretor Jurídico, Compliance e Institucional do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Cursou Direito, Administração de Empresas e Mestrado em Direito Tributário na PUC-SP. Especialização em Direito Educacional pelo CEU. Realizou cursos de Direito Comparado na Universidade Salamanca (Espanha) e Universidade de Coimbra (Portugal). Foi diretor de Relações Institucionais do IASP, Membro do Conselho Superior de Relações do Trabalho CORT/FIESP e integra o Comitê Jurídico do Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas (FONIF).
  • Negociação coletiva e teletrabalho.

    • Wolnei Tadeu Ferreira
    • Advogado e administrador, sócio de Ferreira Rodrigues Sociedade de Advogados. Diretor executivo da Sobratt - Sociedade Brasileira de Teletrabalho e teleatividades. Conselheiro da FIESP. Diretor Jurídico de ABRH-Brasil.
  • Teletrabalho. Hipóteses legais de prioridade e estratégias para ações afirmativas.

    • Ursula Cohim Mauro
    • Advogada. Mestre em Direito do Trabalho pela USP. Pós-graduada em Direito do Trabalho pela PUC/SP e em Direito Empresarial pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Graduada em Direito pela Universidade Católica de Salvador e em Administração de Empresas pela Faculdade Ruy Barbosa. Sócia da Área Trabalhista do escritório Orizzo Marques Advogados.
  • Encerramento

R$ 49,00

Comprar curso